terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Hoje tem bafão na festa da firma!



Fim de ano é tempo de amor, confraternização, perdoar aquela mágoa, e claro, a festa da firma. É nela onde tudo acontece, sempre tem alguém que bebe umas doses a mais e no dia seguinte acaba entrando pra história dos bafos da empresa, não é mesmo? Como em todas as festas, você leva o seu caso de amor, o seu bad romance, pra apresentar prazamigas and rivais. Tudo parece bem até você perceber que o seu L.O.V.E já vem tomando umas e outras, mostrando-se a simpatia em pessoa. Eis que você vai fazer a social, e é obrigado/a deixa a pessoa amada sozinha, crente que está tudo bem e que ela não seria capaz de nada pra queimar sua cara com mundo. Porém, ao voltar você não encontra a pessoa amada (música de tensão e desespero). Você já cansou de procurar o infeliz por todos os lugares possíveis, até que de repente vem aquela vontade de fazer um pipis, afinal você já tomou algumas cervejinhas  mais, e chega uma hora que o álcool pede pra sair. Tudo vai bem até você ver o grande amor da sua vida sair do banheiro (individual) com o seu chefe. E agooooooooooooora queridas, o que vocês fariam???????


"Minha primeira atitude seria providenciar uma cara de cu bem contraída só pra instaurar o caos. Choque, tensão, arrepios, desespero momentâneo. Depois eu ia fingir que estava muito muito abalada com a situação mas, no fundo eu sei que foi alguma coisa que FALTOU em mim (se é que me entendem), e se o chefe fosse tão lindo quanto meu bofe, eu provavelmente desejaria ter estado no banheiro (individual) também. rsrs"


"Olá galera! Quem aí nunca foi traído? Agora, quem aí fala a verdade? Bom, vamos lá, né: Acho que não tem sensação no mundo pior que ser traído, principalmente em "festa da firma" e com o CHEFE. Acho que isso nunca aconteceu comigo, ou, pelo menos eu nunca fiquei sabendo. Eu sou escorpiano vingativo (assumo!), e tenho 100% de noção que estou em vantagem, pois é festa da firma e, logo, eu conheço todas que estão na festa. Não iria deixar passar em branco. Ia pegar a listinha, ligar para o primeiro par de amigas coloridas insanas e fazer o jogo valer a pena. Ia fazer de tudo e na cara de todo mundo. Quanto à garota (L.O.V.E.) que pisou na bola, ia abandonar na festa com cara de cachorra molhada e seguir a minha vida. Tudo bem que, se
eu não conseguisse nada, ia fazer aquela cena do bêbado clássico. Perderia o emprego, mas não perderia a oportunidade." 


"A situação é crítica e tensa, minhas amigas! Posso dizer que já passei por algo quase parecido, só que sem a parte da festa de fim de ano e não foi com o meu chefe! Primeiro de tudo sou pacífica, neutra, controlada mas não sonsa e cega - se eu vi o que eu vi é porque nesse mato tem coelho (ou um boi?). Antes de fazer qualquer barraco na frente das colega companheira, vou tirar satisfação é com o meu bofe. Afinal, se ele é tudo isso na minha vida com certeza me deve explicações óbvias para tal situation. Aí vem as desculpas mais absurdas do mundo, mas com certeza será algo como "fui no banheiro e encontrei ele lá, just it" (confira se o banheiro é coletivo ou único, né? nunca se sabe). Comece o DR bem ali mesmo, no exato momento, e tire o máximo de informações do seu amor bandido and bêbado. Reflita se o que rolou não é coisa da sua cabeça cheia de imaginações ou se o cara está dando desculpas
esfarrapadas para tentar te despistar. Se mesmo na base da conversa você não ficou convencida, faça a lôca neurótica e dê o check in do território supostamente invadido (isso mesmo, gente, por que não?). Sinta cheiros, procure marcas e dê uma boa olhada no tamagochi do seu amado bêbado (vi isso em um filme, vida e ficção sempre juntas!)."
Se a conclusão dessa pesquisa não for suficiente pra você, colega acorde! esse boy não é pro teu bico! Não é saudável ficar ao lado de alguém na qual a gente não confia, certo? você não é obrigada a viver na desconfiança da vida. Mas pense por outro lado, talvez seja só uma impressão #FAIL de algo que não aconteceu na realidade, e se você ama de verdade (e vice-versa), vai saber avaliar isso com a mente e o coração tomando a atitude certa, correto? (que lindo, beijos!).


"Iria embora da forma mais elegante possível (porque pudim de climão é prato que as pessoas ficam estufadas de comer em fim de ano), daria um pé na bunda desse boy-magia-negra-alpinista-social e me manteria no emprego com a mais fingida calma, paciência, placidez e competência para com o querido chefinho - enquanto elaborava/executava um plano sórdido para  que o demitissem (de preferência com um processo adicional), ou, sendo ele o dono da empresa, para levá-lo a falência. Simples e maquiavélico assim." 


"É o quê? Eu me conheço - sou sem graça rs - e provavelmente, faria cara de que não entendi muito bem" ~mas com aquela pitada de 'seus cretinos' nos olhos; cumprimentaria ironicamente a bonita e meu chefe e iria ao banheiro na calma possível que as cervejas permitirem. Nada de barraco na rua, muito menos em ambiente profissional! Lógico que existiria aquela(s) conversa(s) pra esclarecer e dar um fim (ou não), sobre a relação e o emprego. oO"

Um comentário:

  1. As duas últimas "gays" (sem ofensas) foram bem mais ao estilo do que deve ser feito. Geralmente as pessoas nos magoam por dentro, e brigar, puxar cabelo, não fere sentimentos. Por isso sair "pela porta do lado" é uma boa opção. O L.O.V.E. iria se tocar, se tivesse feito algo errado, e levaria a culpa para o resto da vida.

    ResponderExcluir